Posts Tagged ‘ Motivação ’

Daniel Pink: A surpreendente ciência da motivação

.

Daniel Pink examina o puzzle por detrás da motivação, começando com um facto que a maioria dos cientistas sociais conhece, mas não os gestores nas empresas: as recompensas tradicionais não são tão eficazes como geralmente pensamos.

Depois de se despedir do seu último “emprego a sério” na equipa que escrevia os discursos de Al Gore, Dan Pink começou a sua carreira enquanto free-lancer para começar uma revolução do lado direito do cérebro no mercado de trabalho.

Anúncios

Será que qualquer pessoa consegue meditar?

Suspeito que muitas pessoas me colocam esta questão porque acham que toda a gente consegue meditar… menos elas. Elas querem ser reasseguradas que não estão sós, que há pelo menos mais algumas pessoas com quem se podem identificar, aquelas pobres almas que nasceram incapazes de meditar. Mas não é assim tão simples…

Pensar que se é incapaz de meditar é equivalente a pensar que se é incapaz de respirar, concentrar ou relaxar. Quase toda a gente consegue respirar facilmente. E nas circunstâncias certas, a maioria das pessoas também se consegue concentrar e relaxar.

As pessoas frequentemente confundem a meditação com o relaxamento ou algum outro estado especial que se tem de atingir. Quando se tenta uma ou duas vezes e de facto não se chega a nenhum estado em especial, então normalmente as pessoas pensam que simplesmente… não conseguem meditar.

Mas a meditação não tem que ver com sentir algo em específico.

Tem que ver com simplesmente sentir… o que se sente. Não se pretende que esvaziemos a nossa mente ou que esvaziemos a nossa mente, ainda que a tranquilidade que acontece na meditação possa ser cultivada sistematicamente. Acima de tudo, a meditação implica deixarmos a mente ser como ela é, e sabermos algo sobre como ela está em dado momento. Não é pretende que cheguemos a algum sítio em especial, mas apenas permitir-mo-nos estar onde já estamos. Caso não consigamos entender estes argumentos, então pensaremos que somos incapazes de meditar. Mas isso são simplesmente mais pensamentos, e neste caso em específico, pensamentos incorrectos.

É verdade que a meditação requer energia e um compromisso com a nossa prática. Mas então, não seria mais correcto dizermos: “Eu não vou continuar a tentar” em vez de “Eu não consigo”? Qualquer pessoa se consegue sentar e observar a sua respiração ou observar a sua mente. E nem sequer precisamos de estar sentados. Podemos andar, estar simplesmente de pé, deitados, apenas numa perna, a correr ou a tomar banho. Mas permanecer em meditação durante pelo menos 5 minutos requer intencionalidade. Integrar esta prática na nossa vida requer alguma disciplina. Por isso quando as pessoas dizem que não conseguem meditar, aquilo que elas realmente querem dizer é que não planearão tempo para isso, ou que quando tentam, não gostam do que acontece. Não é o que elas esperavam que fosse. Não cumpre as suas expectativas.

Por isso talvez pudessem tentar de novo, desta vez deixando cair as suas expectativas e simplesmente estando atentas.

Jon Kabat-Zinn, “Wherever you go, there you are

Tony Robbins: Porque é que fazemos o que fazemos?

Tony Robbins discute as “forças invisíveis” que motivam as nossas acções.

Ken Robinson: Como encontrar o nosso caminho muda tudo

Ken Robinson acredita que toda a gente nasce com capacidades extraordinárias. Então o que é que acontece a todo esse talento, enquanto vamos tropeçando na vida, vivendo, mas nunca utilizando todo o nosso potencial?

Para muitos de nós, o problema não é que  tenhamos os nossos objectivos demasiado altos e falhemos – é exactamente o contrário – temos os nossos objectivos demasiado baixos e temos sucesso.

Temos de encontrar aquele ponto mágico em que o nosso talento natural encontra as nossas paixões pessoais. Isto significa que temos de nos conhecer a nós próprios melhor. Enquanto nos contentarmos com fazer aquilo em que somos competentes, mas que não adoramos, nunca seremos excelentes. E, de acordo com Ken, encontrarmos um objectivo no nosso trabalho é essencial para que possamos descobrir quem somos realmente…

Esta conversa não irá oferecer mantras sem sentido ou balelas psicológicas, mas encoraja-nos a olhar profundamente para dentro de nós próprios.

Preparem-se para libertar o fervor interior, enquanto Ken toma o púlpito para nos inspirar a seguirmos as nossas paixões!

.

Conselho sobre meditação

Se a meditação é uma prioridade, então é útil levar esta palavra em consideração e colocar a meditação primeiro. Um exemplo poderia ser a minha regra de não ligar o meu computador antes de ter meditado.

Simples, mas eficaz. Provavelmente o conselho mais eficaz que eu já ouvi foi dado em oito palavras por Suzuki Roshi:

“Organiza a tua vida para que te possas sentar em meditação.”

David Schneider, Meditator’s Toolbox

Acordar

Fonte 
Quando acordamos de manhã, para onde nos leva a nossa mente?
Seja para onde for, é a partir daquela motivação, que tudo o resto surgirá.

Sakyong Mipham Rinpoche